1*

E sei que me vou desfazer em choros desalmados, não tarde nada. Sei que me vai custar a adormecer e que as noites voltarão a ser demasiado frias. Que o coração se tornará um buraco negro sem fundo e que a alma ficará repleta de cicatrizes. Que a respiração se tornará lenta e que o sufoco vai ser constante. Sei que de cada vez que me lembrar de ti, vou querer chorar. Sei que isto vai doer, que me vai roubar noites de sono e dias de calor. Sei que me vou tornar um bocadinho mais fria. Sei que voltarei a escrever mais vezes e que tudo me vai fazer lembrar de ti. Que de cada vez que passar por sítios que se tornaram nossos, vou morrer um bocadinho mais. Que toda eu voltarei a ser de papel amachucado. E, no entanto, eu sei que vou conseguir, porque tal como das outras vezes, vou continuar a ser eu. Vou continuar a rir-me feita parva de coisas sem sentido. Vou continuar a rir-me alto e a rir-me de mim própria. Vou continuar a amar o mundo, porque sou feita de coisas, de naturezas. Não de pessoas. Eu sei. Eu prometo que me vou controlar e não ter sequer a coragem de voltar atrás e assumir que a culpa é minha, porque não foi só minha. Até lá, vou continuar a achar que fomos felizes, que fomos muito felizes... Até me cansar e passar a achar que a única pessoa que foi feliz, fui eu.

5 comentários:

Gui disse...

adorei

joanarocha disse...

tem muita força <3

joanarocha disse...

dizem que nada é para sempre não é? obrigada <3

© hurricane disse...

força <3

© hurricane disse...

não consegues agora, mas vais conseguir depois. não podes perder a esperança!
e não tens nada que agradecer!
* beijinhos