*

Não eras assim quando te conheci. Tão coração de papel, tão alma de vidro, tão amor perfeito. Eu disse-te que acreditava em amores perfeitos, eu disse. Eu disse que eles existiam, eu não me esqueço, mas mesmo assim, não eras tão de mim, quando te conheci. 

5 comentários:

Vitor Alves disse...

Tenho de te dar os parabéns pela força das tuas palavras. Românticas, fortes e sentidas. É impressionante como fazes do pouco - tanto.
Vou ficar atento e quem sabe não possamos ter aí um entendimento com o meu blog ;)

Já agora, também gostava de saber o que te leva a escrever e os motivos para escrever algo assim - maravilhoso.

;) Continuação de um bom trabalho.

Vanessa Santos disse...

adoro o teu blog :o

Vanessa Santos disse...

ó que querida, obrigada (:

Vanessa Santos disse...

ora essa (:

Gui disse...

amei como nunca amei nenhum texto antes,identifiquei-me plenamente.