Wild horses, I wanna be like you.

Já não sinto revolta. Apenas um vazio do lado esquerdo, que me deixa sem ar de cada vez que o teu nome é pronunciado. De cada vez que me perguntam como estás, e eu sou obrigada a dizer que não sei, porque de facto não sei. Não sei se estás bem ou mal. Perdemo-nos um do outro, e é algo que já não é de agora. E custa. Custa muito. Mas já custou mais. Já chorei dia e noite. Já me senti a pior pessoa do mundo. Já te quis dizer de mil e uma formas que o teu lugar é comigo, porque juntos somos a combinação perfeita e separados somos apenas duas metades. Já quis ir ao teu encontro e dizer-te de todas as formas que somos um, que seremos sempre um, e abraçar-te. Abraçar-te até me doerem os braços, até o coração deixar de bater, e até as minhas pernas se cansarem. Já te quis dizer que sem ti sou como uma escala musical sem notas. Já te quis dizer que apesar de tudo, foste o único que me deu a vida, que me devolveu a felicidade. Já quis. E ainda quero. Mas não me sinto com coragem. Tudo isso seria em vão, e eu já não aguento os estilhaços a baterem-me no coração e a deixarem-me cada vez mais sem vida. E agora vejo-me obrigada a dizer adeus a tudo o que algum dia foi meu. A todas as pessoas que se tornaram um bocadinho minhas e a tudo o que senti de coração aberto. E dizer adeus a tudo, é tão difícil.

5 comentários:

© hurricane disse...

profundo.
único! *

Francisco Nunes disse...

“E, quando o presente é feio e o futuro incerto, o passado vem-nos sempre à ideia como o tempo em que fomos felizes”
Para mim está frase diz muito. Diz aquilo que já vivi, estás agora tu a viver...
Há certos momentos em que pensamos no passado de ontem e nos perguntamos se tudo aquilo que vivemos valeu a pena,se tudo existiu de verdade, ou foi uma mera passagem de um navio que nunca chegou a atracar naquele que nós achamos que é o nosso porto seguro. ...o nosso grande amor...

Nestas altura é sempre difícil. É como estra no meio de um deserto sem fim à vista, pois achamos que só, e apenas nós é que estamos errados e tudo o que aconteceu de mal foi por nossa culpa, não compreendemos o que poderá ter corrido mal.. Com tempo vamos consciêncializando, que não é bem assim e possívelmente quem estragou tudo foi quem em tempos nos disse que era capaz de trazer o mundo, e aquela pessoa que nos fazia acreditar que nunca perdiriamos a metade que nos completa pois o amor que sentiam por nós era mais forte que qualquer outra coisa existente.
O dito momento, é belo e maravilhoso, o momento propício à declaração de tais palavras. Sentidas?...
Mas no momento em que é preciso dar luta, mostrar tudo que dizemos e ser um gerreiro capaz de matar para defender aquilo que outrora fora indestrutivél, não são capazes de aguentar tal força e preferem seder e deixar que todo o império pelos dois criado, se desmorone sem sequer serem capazes de tentar... apenas tentar...

Adorei ler os teus textos. Simplesmente fantásticos. Sentidos, verdadeiros e expressivos. Continua assim.
És lutadora, tens garra, só te falta um pilar que te ponha completamente de pé, mas com a ajuda dos amigos, já vi que estás em processo de construção e já estás quase pronta para mais.
Faz parte daquilo para que fomos criados, «viver».
Altos e baixos é a escalada de uma montanha. Quanto maior for a montanha escalada maior é a vitória, mais paixão temos pela conquista que muitas vezes não é suficiente para a maioria das pessoas... Isto é amar, a verdadeira luta pela conquista e recompensa de um amor mutúo.

Enfim.

Não me leves a mal o comentário, apenas também gosto de escrever / desabafar sobre este tipo de assuntos e aproveitar para deixar aqui um bocado daquilo que tu podes achar sem significado, mas não deixei de tentar.

Já agora apresento-me...
Francisco Seisdedos
Espero ver mais textos teus assim ;)

“remember you are unique, do not worry about what he thinks or says, just believe in you. if you want, you can you”

Francisco Nunes disse...

* O coração fala mais vezes do que nós, apenas nem sempre o sabemos ouvir.

Francisco Nunes disse...

É incrível a maneira como escreves.
A descrição que fazes dos sentimentos que te assolam é magnifica.
Adoro a maneira como vives os momentos e com eles consegues escrever uma história, sem medo do fim.

Quando leio os teus textos, dá-me vontade de chegar ao pé de ti (mesmo que não te conheça)e encorajar-te e levantar-te de maneira a conseguires crescer e deixar correr o mundo livremente sem que fiques presa ao passado ue marcou e pesou.
A tua escrita é vibrante e inteligente.
Simplesmente indolotro os teus textos. Já disse e volto a dizer.

p.s. Espero que não leves a mal, nada do que te escrevo.

Cláudia disse...

óh minha querida, eu também estou a passar pelo mesmo, mas temos que nos habituar a isso :x
Infelizmente, a Vida reservou-nos isto, só tristeza e desilusão, mas temos que ter Fé, de um dia irá mudar, assério :x
Eu também ainda sofro e muito, estou mortinha para que chegue o dia em que isto mude, porque estou farta desta Vida de porcaria, que por vezes só me dá vontade de fugir daqui, para bem longe, assério.
Querida, nós vamos conseguir, somos mais fortes que qualquer tristeza ou desilusão :)